terça-feira, 23 de novembro de 2010

TEATRO EVANGÉLICO

Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. (1 Co 9:21)

É aquele que traz para o palco, não necessariamente como personagem, mas como presença viva, O Senhor Jesus.

Desde os que montam o espetáculo aos que representam, o objetivo e a razão do teatro evangélico é levar a palavra de DEUS até aos que o assistem.

Esta situação não apenas cria um rótulos diferente dos “teatros & teatros” por aí, mas sim objetivos próprios : Glorificar a Deus; Trabalhando com amor e submissão, transferindo toda glória para Deus; Evangelizar o Mundo.

Que é uma ordem dada a todos nós por Jesus “IDE e PREGAI”. Devemos usar a arte como meio de evangelismo, pois é uma forma moderna, descontraída, dinâmica e criativa.

Através da evangelização teatral, por fé, cremos que somos capazes de atingirmos o ser humano integralmente.

O teatro evangélico não serve apenas como diversão, distração, meio de conscientização política/social ou opção pessoal de vida e trabalho. Se tivermos alcançado somente o corpo e a alma das pessoas, não fazemos diferente do que se vê em todos os lugares. Precisamos ir mais fundo, ir onde está a necessidade maior do homem , em seu espírito.

Fazer teatro assim é fazer como Jesus faria. É tornar-se um reflexo de Cristo e, com isso, trazê-lo pra perto do público.É dividir a vida abundante, que temos recebido de Deus, com outros. Logo é engrandecer e fazer conhecer o reino de Deus. Por isso a melhor e mais conhecida definição de “teatro evangélico” é a que diz que, este é o responsável por trazer “Jesus em Cena”. E está aí a principal diferença entre o teatro secular e o teatro evangélico. Jesus, tanto na mensagem como nas pessoas que levarão a mensagem. A questão agora é: Como levarei a mensagem de Deus através do Teatro?Pense numa rádio, você está ouvindo música, até aí tudo certo, porém, bem na hora que toca a sua música predileta começa a dar interferência. Você põe“bombril” na antena, dá uns tapas no rádio, tenta sintonizar a estação, e nada, “A Voz do Brasil”(aquele programa chato) ou as notícias da CBN insistem em atrapalhar a transmissão da música. Sabe porque a ilustração da interferência? Porque uma vez que o mais importante no teatro evangélico é a mensagem, ela não pode ser passada com “interferências”, muito pelo contrário, tem de ser espiritual, ungida e nítida. Mas o que é necessário para se passar uma mensagem espiritual, ungida e nítida? Cuidar de três aspectos: O espiritual, o grupo e a técnica, e as interferências ocorrem justamente quando omitimos ou negligenciamos quaisquer destes aspectos.

Espiritual:Como vamos encenar sobre Jesus e Sua Palavra se você não está em “sintonia” com Ele?

Grupo – Nenhum trabalho é feito sozinho, Deus “ordena a benção” onde há união e concordância. Técnica – Você já viu um jogo de futebol onde todo mundo corre atrás da bola e não sai nada? Pode até ser engraçado no princípio, mas depois se torna entediante, pois ninguém ali sabe ao certo o que está fazendo. Como as pessoas prestarão atenção se nos mostrarmos despreparados, tal como o jogo citado?"Ser bênção para a vida dos outros é criar os meios para que a graça de Deus os envolva trazendo salvação, reconciliação, cura e libertação. É agir para que o cansado encontre alívio, para que o doente ache consolo, para que o perdido seja achado. É usar os dons e talentos que Deus nos deu para criar novas esperanças e para alimentar a fé de outros"

O Princípio da Ajuda Mútua

Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. (Fl 2:3)

Calma, isso daqui não é aquela corrente ridícula que diz que você tem que mandar seis reais pelos correios e esperar o dinheiro chover na sua conta corrente.

Em Isaías 41:6 a Bíblia diz que um ou outro ajudou, e ao seu companheiro disse: esforça-te. O princípio da ajuda mútua é justamente isto, ajudar seu companheiro ao invés de deprecia-lo.

Não fique irritado com seu irmão só porque ele não possui as mesmas habilidades do que você. Somos um grupo justamente para que os talentos de um supra a falta dos outros.

Esteja disposto a aprender, ninguém sabe tudo, elogie, critique construtivamente, o apoie, enfim, o ajude.

O Princípio da Igualdade

Na verdade, na verdade vos digo que não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou. (Jo 13:16)Você lembra da definição de grupo? Estamos reunidos em torno de um interesse comum: Servir a Deus através do teatro.

Note bem que intérpretes, músicos, diretores, auxiliares, todos, sem exceção, são SERVOS DE DEUS. De forma que não há o mais importante, ou o melhor, todos nós somos iguais, com responsabilidades iguais, porém em departamentos diferentes.

Fechando as Cortinas

Temos, porém, esse tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. (1 Co 4:7)

Talvez ao ler esse material você pode esteja pensando que há inúmeros motivos para não fazer teatro, afinal, existem meios menos trabalhosos para pregar o Evangelho. Augusto Boal disse que o “Teatro é uma arma poderosa”, porque então, vamos negligenciar essa “arma” só pelo trabalho que ela nos causa? A demais, nossa capacidade vem de Deus, é dEle que vem toda a boa dádiva, todo o tom perfeito. A nós, cabe usar os talentos que Deus nos tem dado. Somos fracos, somos limitados, somos dependentes de Deus e somos movidos por Sua Graça, trazendo no coração a vontade de fazer mais e melhor para Deus. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes. E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são para confundir as que são; Para que nenhuma carne se glorie na presença dele.

(1 Co 1:27-29)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela postagem feita!! Deus abençoe!